15 fevereiro 2007

Por puro acaso, decidiu escrever sua autobiografia. Consagrado e já desconsagrado, possuía material assustadoramente publicável. Livro quase pronto, decidiu, enfim, ceder à pressão de seu editor e dedicar um dos capítulos a um personagem que o perseguia há muitos anos, e que seria um dos melhores de sua história: em qualquer lugar, na rua onde morava, no trabalho, viagens, nas mais íntimas reuniões, nos banheiros, nas situações mais esdrúxulas em que estivesse, descobria aquela mulher, ali em pé, em um canto, fingindo sempre não estar ali. Teria já tentado, é claro, abordá-la, se achasse que ela era real. Seu capítulo no livro se chamaria “O súcubo”. Até então, apenas seu editor, infelizmente também amigo, sabia dela.

Às vésperas de mandar os manuscritos para a editora, sua campainha tocou e era a mulher. Ela explicou-se: quando crianças, haviam brincado juntos na casa de uma tia e, no meio de uma brincadeira, ele havia dito que um dia seria muito bem sucedido e que ela escreveria sua biografia. Mas ela não sabia brincar. Por isso perseguiu-o por tantos anos, coletando-o.

Então, sentaram para confrontar as versões do texto. E publicaram as duas em uma, como edição bilíngüe.

8 comentários:

elaine pauvolid disse...

gostei, tem a ver com o meu
confidências de jokasta
beijos
elaine pauvolid

Bigatrice disse...

nossa! que lindo!
olhares transversais, que idéia interessante... grande encontro o de te visitar por vezes...
dia desses publico um pedaço de um texto que eu escrevi e que vai encenado, aqui no RS, onde moro...

beijo grande !

Fábio Santana disse...

Interessante blog... vagar é costurar...
Se quiser e puder, visite-me também por um quem sabe...

http://propriedadedoirreversivel.blogspot.com

Raquel disse...

Oi!
Vim conhecer seu blog!
Gostei muito!!!
Voltarei para ver os próximos capítulos!

P. disse...

Fôssemos todos poliglotas!

Aline Ponce disse...

Victor, vim conhecer seu blog e gostei muito deste texto. Curto e bastante expressivo. Abraços.

Romulo Viana disse...

Cara, muito bom esse texto! Bom poder ler os teus escritos... quando chega o livro?

Abração!

Anderson Fonseca disse...

cara vc é muito bom,gostaria de dialogar poesia com vc, viste este blogs se lheinteressar, www.escritosdoexilio.blogspot.com www.des-enredo.blogspot.com, vc desfia o tear poético em diferentes nuances, muito bom