17 abril 2007

1

pinçar do furacão uma linha
e desenhar um chão na terra

rir
do outro lado do curso do rio
falar por línguas alheias
e chorar de cansaço ao fim do dia

2

subir na árvore
só pra morder a fruta
com força
por medo de descê-la

Um comentário:

Analice Alves disse...

Olá! Recebi o endereço do seu blog por e-mail pela Universo. Participei de alguns "Dizer poesia". Gostei muito da sua página e de suas poesias. Parabéns pelo dom! Beijos e bom final de semana.